VISITANTES NO CEARÁ, BRASIL E MUNDO AFORA AO SITE MASSAPÊ INDO E VOLTANDO

PROVÁVEIS DIVERGÊNCIAS DE IDEIAS POLÍTICAS ENTRE LUIZ PONTES E JACQUES TERIA CULMINADO NO CANCELAMENTO DO ARRASTÃO DO PSDB EM MASSAPÊ


Foto proveniente do Google
Em tempos de campanhas políticas, ouve-se tudo e acontece de tudo. Até o que não se espera vir à tona, pode acontecer um fato novo à medida que os dias vão se afunilando ao embate eleitoral. A qualquer momento, num piscar de olho, numa simples mudança de estratégia, os protagonistas de plantãosejam aliados ou opositores - fazem senso de juízo de qualquer coisa.

Corre à boca miúda pelos becos estreitos da política, em Massapê, que ogrande arrastãoprogramado para acontecer amanhã (21), inclusive bastante divulgado em carros de som, teria sido cancelado por divergências de ideias políticas entre os apoiadores da coligaçãoCeará de Todos, envolvendo Jacques Albuquerque e Luiz Pontes. Sendo que o primeiro gostaria que o arrastão partisse do Mumbaba de Baixo, enquanto o segundo, queria que a concentração acontecesse no comitê do PSDB, próximo à escola Luiz Carlos Magalhaẽs. Fato que não chegaram ao consenso, mediante reunião que teria acontecido em Fortaleza com a assessoria de Eunício Oliveira, candidato ao governo do Estado.

Embora apoie candidatos proporcionais diferentes de Jacques Albuquerque, Luiz Pontes é o propulsor da campanha do PSDB local, que vota nos mesmos candidatos majoritários apoiados também pelo ex-prefeito de Massapê, incluindo Tasso, Eunício e Aécio.

Com o objetivo de esclarecer algo em relação à propagação do assunto que se estabeleceu na cidade, colocamo-nos à inteira disposição das lideranças acima citadas, para dirimir quaisquer dúvidas relatadas nesta matéria, caso lhes convenham ou forem necessárias.

EM OLIMPÍADA NACIONAL, ALUNOS DA ESCOLA PROFISSIONALIZANTE DE MASSAPÊ SÃO PREMIADOS COM MEDALHAS DE OURO E BRONZE


Os alunos da EEEP Francisca Neilyta Carneiro Albuquerque, em Massapê, Estado do Ceará, conquistaram 3 medalhas de bronze e uma de ouro, na XVI Olímpiada Brasileira de Astronomia e Astronautica. Por competências e méritos próprios, o site Massapê Indo e Voltando tem a honra de destacar, a seguir, os nomes dos alunos agraciados:

  1. Adriano Silva Faustino, estudante do 2º Ano do Curso de Eletromecânica – Medalha de Ouro;
  2. Antonio Sousa do Nascimento, estudante do 3º Ano do Curso Eletromecânica – Medalha de Bronze;
  3. José Caio Cajazeiras, estudante do 3º Ano do Curso de Mineração – Medalha de Bronze;
  4. Raul de Lima Pereira, estudante do 2º Ano do Curso Eletromecânica – Medalha de Bronze.

A OBA é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), pela Agência Espacial Brasileira (AEB) e ELETROBRAS FURNA entre alunos de todas os anos do ensino fundamental e médio em todo território nacional. Tem por objetivos fomentar o interesse dos jovens pela Astronomia e pela Astronáutica e ciências afins, promover a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa, mobilizando uma mutirão nacional.

Desta forma, os sinceros parabéns aos exitosos nesta importante competição nacional. Enquanto isso, professores, coordenadoras pedagógicas, diretora, presidente do Conselho, enfim, todo o núcleo gestor e, principalmente, a famíĺia, os aplaudem de pé, por mais um degrau vitorioso em suas vidas na carreira estudantil.

EM SINTONIA AO PROJETO GERAÇÃO DA PAZ, ESCOLA PROFISSIONAL REALIZA MISSA EM AÇÃO DE GRAÇAS


Com espírito de gratidão e muita fé, e em consonância a um dos projetos da Escola “Geração da Paz”, foi realizada nesta sexta-feira, às 8hs, no pátio da EEEP Francisca Neilyta Carneiro Albuquerque, em Massapê, uma missa em Ação de Graças em agradecimento ao nosso bom Pai.

Reunidos e unidos, não poderia ser ocasião mais apropriada de darmos graças a Deus pelo dom da vida, pelos bons ensinamentos, pelas vitórias conquistadas e, sobretudo, entregando a Ele todas as nossas necessidades, preocupações e nosso desejo de uma caminhada feliz.

A celebração foi presidida pelo vigário paroquial de Massapê, padre Fábio Gomes, e contou ainda com a participação efusiva do grupo “Fiat”, que quer dizerFaça-se, cujo sentido é encontrado em Lucas 1, 26-30, que tem a missão de animar, dançar, cantar e despertar na juventude, o desejo de buscar a Deus através de orações, louvores e cânticos; fontes inspiradoras na transformação e despertar dos valores morais e espirituais, tão ausentes nos dias atuais.

Em respeito às tendências ecumênicas, e por preservar a busca da unidade entre as crenças cristãs, inclusive com presenças marcantes na Escola Profissionalizante, a diretora Daniela Vasconcelos afirmou também que será realizada uma pregação na próxima sexta-feira (26), mesmo horário, com a presença de um pastor evangélico.


A MENTIRA TEM PERNAS CURTAS



POR E-MAIL AO SITE: “CA, CA, CA, CA, CA, CA, CA... CAMOCIM”



José Edimar Gomes, (54 anos) – popularmente conhecido no seio da sociedade massapeense por Zé Bode, adquiriu a alcunha ainda criança, em face da gagueira. O menino balbuciava suas primeiras palavras imitando o berro do caprino: beeee, beeee. De José para Zé Bode foi um pulinho. Dentre tantas qualidades que lhe são peculiares, o bom rapaz é autodidata, historiador por natureza, exercendo esporadicamente a profissão de técnico-eletricista e manutenção de pequenos motores. Desde tenra infância adquiriu gagueira de forma moderada, mas que se acentua demasiadamente nos momentos de embriaguez, inquietação e profunda irritação, sendo que, nunca foi submetido a tratamento com médico especialista em fonoaudiologia. Em plena segunda-feira do Carnaval de 2012, Zé Bode se divertia, bebendo “Umas & Outras”, em um bar próximo à rotatória (anel viário) de acesso a avenida Senador Ozires Pontes, e no exato momento de montar na sua motocicleta cor de abóbora, marca Kansas, 150 cilindradas, equipada com duas caixinhas de som contrabandeadas do Paraguai, foi abordado por um casal que ocupava um daqueles carrões importados com design futurístico. Antes de entrarmos no mérito da questão, é bom frisar que no referido logradouro público inexistiam placas de sinalização indicando as vias de acesso às cidades de Santana do Acaraú (CE 232 – rodovia Dermeval Carneiro Vasconcelos) e de Senador Sá, Uruoca, Martinópolis, Granja e Camocim (CE 362), de modo que, os motoristas ficavam sem saber para onde ir e, via de regra, dependiam de uma informação precisa para seguir tranquilo ao seu destino. Abaixo, transcrição do diálogo entre os três personagens, vazado nos seguintes termos:
- Bom, bom, bom, bom, bom, bom... dia? – cumprimentou o motorista do veículo, por incrível que pareça, coincidentemente também era gago, complementando:
- Ca, ca, ca, ca, ca, ca, ca, ca, ca... Camocim, fi... fi, fi, fi, fi, fi, fi, fi, fi, fi, fica pra onde?
Zé Bode não titubeou, fechou os olhos, soltou o verbo, ou melhor, a gagueira, e cortesmente foi prontamente respondendo:
- Ca... ca, ca, ca, ca, ca, ca, ca, ca, ca, ca... Camocim, fi... fi, fi, fi, fi, fi, fi, fi, fica nesta di... di, di, di, di, di, di, di, di, direção... – disse Zé Bode, inicialmente com o braço articulado em forma de “v” e em seguida na horizontal, apontando com o dedo indicador, o rumo daquela aprazível cidade praiana.
- Você respeita o meu marido, seu sem vergonha! – retrucou a senhora enfurecida, do assento do carona.
- E... e, e, e, e, e, e, e, e, e, e, e, eu, num fiz n-nada!!! – respondeu Zé Bode já bastante irritado e cheio de razão. Foi quando o motorista do carro (que deveria ser uma autoridade), comprou a briga e indagou:
- Po... po, po, po, po, po, po, po, por acaso, vo, vo, vo, vo, vo, vo, vo, vo, vo, você sabe com quem, e-está, fa, fa, fa, fa, fa, fa, fa, fa, fa, fa, falando???
- E, e, e, e, e, e, e, e, e, é claro que eu sei. É com um ga... ga, ga, ga, ga, ga, ga, ga, ga, ga, ga... gago que nem eu. Refeitos do susto, ambos seguiram seus caminhos. O casal partiu com destino a Camocim e Zé Bode, tradicional consumidor etílico da cachaça Ypioca e saudosista que é, sem lenço e sem documento, continuou peregrinar de bar em bar, ouvindo e curtindo as marchinhas dos carnavais de outrora, tipo o refrão: ♫ Você pensa que cachaça é água, cachaça não é água não, cachaça vem do alambique, e água vem do ribeirão...
Zé Bode e sua Kansas 150 cilindradas
Do livro: Histórias & Causos com Casos & Estórias de Massape – autor: Ferreirinha.

29º ARTIGO: “A AUTOTUTELA É ADMITIDA PELO DIREITO COMO EXCEÇÃO”



Houve um tempo na história da humanidade  que os conflitos sociais eram resolvidos na base força privada. Com efeito, ante a inexistência do Estado,  imperava a Lei do mais do forte. Era a florescência da autotutela.
Graças à evolução da sociedade e o aparecimento do Estado, as demandas passaram a ser resolvidas em sua essência pelo Estado-Juiz, terceiro imparcial legitimado para dizer o direito ao caso concreto,  e com força suficiente para fazer cumprir as suas decisões.
No entanto, como o Estado não pode se fazer presente em todas as relações cotidianas, o ordenamento jurídico autoriza ainda a autotutela como exceção.  Isso significa a possibilidade de defesa de um determinado bem jurídico dentro dos limites da razoabilidade.
Nessa esteira, o Código Civil  prevê o direito de retenção,  o desforço imediato, o penhor legal. Da mesma forma, o Código Penal prescreve o estado de necessidade, a legítima defesa, o estrito cumprimento do dever legal e o exercício regular de direito. Além disso, é exemplo de autotutela,  a prisão em flagrante delito por qualquer do povo, conforme o previsto no Código de Processo Penal.
 Noutro vértice convém assinalar que a autotutela,  como se permite de forma excepcional,  não pode ser invocada por fundamento a  ações criminosas de indivíduos que  pretendem  fazer “justiça” pelo uso de seus próprios meios,  quando o próprio ordenamento nega tal guarida
Com base no exposto, percebe-se  que a  evolução do Direito não foi suficiente para acabar, em absoluto, com o exercício da autotutela. No entanto, a mesma só pode ser utilizada nos estreitos limites dos permissivos legais.

Dr. João Tomaz Neto
        Advogado e Professor